Russos garantem oferta de fertilizantes ao Brasil, diz ministra

Autoridades e representantes de empresas russas de fertilizantes se reuniram com a ministra da Agricultura brasileira, Tereza Cristina, que disse ter obtido garantias de oferta do produto ao Brasil em meio a preocupações com o suprimento, de acordo com nota do Ministério da Agricultura.

O Brasil, um grande importador de fertilizantes, observa um aumento nos custos, pelos preços mais altos de matérias-primas e também em função do câmbio. Há ainda preocupações com a oferta, mesmo que produtores de grãos tenham, em sua maioria, já fechado negócios para a safra 2021/22.


A Rússia representa cerca de 20% do total de fertilizantes importados pelo Brasil. Recentemente, o governo russo anunciou restrições às exportações de fertilizantes nitrogenados por meio de cotas de exportação pelo período de seis meses a partir de 1º de dezembro, com o objetivo de evitar escassez no mercado interno, frisou o comunicado.


“Tivemos aqui a garantia, tanto do governo russo quanto das empresas de fertilizantes, de que nós não teremos problemas com a entrega de fertilizantes, tanto de potássio quanto dos fosfatos”, disse a ministra, que busca abrir negociação com os principais fornecedores diante de restrições na oferta mundial.


O Ministro do Desenvolvimento Econômico da Rússia, Maksim Reshetnikov, assegurou a manutenção do fornecimento ao Brasil de fertilizantes de potássio e fosfato e, “se possível, aumento de exportações para a próxima safra”, acrescentou o ministério.


“O ministro reforçou que o Brasil é um parceiro estratégico e que podemos ficar absolutamente tranquilos com o fornecimento de potássio e fósforo.”


A ministra brasileira se reuniu com o vice-presidente da produtora global de fertilizantes minerais complexos Acron, Vladimir Kantor, que garantiu o aumento de ao menos 10% das exportações de fertilizantes para o Brasil, de acordo com o comunicado.

O CEO da empresa russa PhosAgro, Andrey Guryev, foi na mesma linha.


De acordo com o ministério, a ministra Tereza Cristina ouviu do CEO da EuroChem, Vladimir Rashevskiy, planos de investimentos da empresa no Brasil para aumento da produção nacional de fertilizantes. [...]


CARNE


Tereza Cristina também se reuniu em Moscou com o chefe do Serviço Federal de Vigilância Veterinária e Fitossanitária da Rússia, Sergey Dankvert, que garantiu a realização de uma visita de inspeção ao Brasil, ainda no primeiro trimestre de 2022, visando habilitação de novas plantas frigoríficas brasileiras para exportação.


O governo Russo anunciou que abrirá uma cota de 300 mil toneladas de carne (200 mil toneladas de carne bovina e 100 mil toneladas de carne suína) com tarifa zero de importação por seis meses, mercado que pode ser utilizado pelo Brasil.


Fonte: Forbes

0 visualização0 comentário