Pesquisa aponta nova piora no poder de compra de fertilizantes

O poder de compra dos agricultores brasileiros em relação a aquisição dos insumos está menos favorável. É o que apontou o Índice de Poder de Compra de Fertilizantes (IPCF), desenvolvido pela empresa Mosaic.

Em outubro atingiu 1,50, apontando uma piora na relação de troca entre adubos e produtos agrícolas. Em setembro, o indicador havia marcado 1,26. Uma relação maior que 1 indica que os adubos estão menos acessíveis aos agricultores, e valores abaixo de 1 significam que os insumos estão mais acessíveis.


“O principal fator para a alta em outubro continua sendo o próprio cenário de fertilizantes, que segue apresentando um balanço apertado de oferta e demanda global, além de recentes incrementos de custos de produção por questões macroeconômicas, como gás natural e petróleo”, disse a publicação da Mosaic Fertilizantes.


O Brasil, um grande importador de fertilizantes, observa um aumento nos custos também em função do câmbio. Há ainda preocupações com a oferta, mesmo que produtores de grãos brasileiros tenham, em sua maioria, já fechado negócios para a safra 2021/22.


O IPCF é divulgado mensalmente e retrata os preços dos fertilizantes em concordância com o mercado agrícola. Em agosto de 2021, o resultado do IPCF ficou em 1,20, mesmo índice registrado no mês anterior.


Fonte: Agrolink

0 visualização0 comentário